Celinne de Paula & João Beber

Oi migos! Meu nome é Celinne, eu sou de Cuiabá e eu estou no International Foundation Year. Como muitos brasileiros, eu sempre quis estudar no exterior, e depois do meu intercâmbio na Irlanda, eu tive certeza que meu coração é da Europa. Nunca pensei em vir para Alemanha já que eu achava que precisávamos falar alemão, mas foi aí que eu descobri a Karlshochschule. A Karls é uma universidade com uma atmosfera muito aberta e que empodera muito os estudantes, aqui você pode se envolver com bastante coisa. Além de tudo, temos muitos estudantes internacionais aqui, e você acaba aprendendo sobre uma cultura diferente todos os dias, no final, nós somos uma família internacional gigante. Vindo do Brasil, eu realmente achei que o choque cultural seria bem grande, porém as pessoas de Karlsruhe são muito gentis e amigáveis também. Eu fico bem feliz de poder ajudar outros brasileiros a virem para cá, pois essa foi uma das melhores decisões que já tomei. É sempre difícil ir para outro país, mas com uma ajudinha tudo fica mais fácil, né? Estou disponível para o que vocês precisarem (sério), e estou ansiosa para vê-los aqui! 

Olá pessoal, meu nome é João Marcos Beber e eu sou um dos embaixadores Brasileiros na Karlshochschule. Eu venho da cidade de Pomerode, uma cidade pequena no Sul do Brasil. Eu comecei meus estudos esse ano na Karls e estou fazendo o meu ano internacional de fundação. Quando concluir essa etapa, irei cursar International Business. Eu também já morei na Alemanha por dois anos. Em 2015 fiz um intercâmbio escolar e em 2017 fiz um ano de voluntariado. Durante esses dois anos eu me apaixonei pela Alemanha e tinha muita vontade de estudar aqui. Eestava em busca de universidade, quando encontrei a Karlshochschule, através de uma bolsa de estudos oferecida pelo AFS Intercultura Alemanha. Eu descrevo a Karlshochschule com sendo um ambiente aberto, dinâmico e intercultural, onde todos os dias tenho novas ideias, contatos e aprendo mais sobre diferentes culturas. É um espaço seguro onde posso compartilhar e falar sobre minhas opiniões e ideias sem ser julgado. E estou me tornando mais e mais um cidadão global e o ambiente da Karls está me ajudando muito nesse quesito. Os funcionários da universidade são muito amigáveis e abertos para ajudar os estudantes em qualquer situação. Você realmente se sentirá em casa. Caso você tenha alguma pergunta sobre a Karlshochschule ou sobre Karlsruhe me mande um e-mail ou uma mensagem no Instagram. Sinta-se à vontade para me escrever a qualquer hora, estou ansioso para encontrar você na Karlshochschule!

Sobre o inverno alemão

Por Celinne de Paula:

Apesar de já ter passado pelo inverno europeu uma outra vez, tenho que dizer que essa nunca é uma experiência muito fácil para um brasileiro. Mesmo tendo vindo de uma das cidades quentes do Brasil, o frio intenso na verdade não é a coisa mais difícil do inverno, a falta de sol é. No final do outono as temperaturas vão diminuindo as folhas das árvores começam a cair e os dias começam a ficar mais curtos, no pico do inverno amanhece às 8/9 da manhã e escurece as 4 da tarde, é bem comum ficar um pouco mais triste e cansado nessa época. É por isso também que as cidades ficam enfeitadas e cheias de luzes, os mercados de natal são sempre bem coloridos para animar as pessoas e dar vida a cidade. No inverno temos a opção de ir para a Black Forest que fica perto de Karlsruhe para esquiar na neve também!

ctrl-down
As diferenças entre o Brasil e a Alemanha

Por João Beber:

Irei falar um pouco sobre as 5 diferenças na minha percepção entre o Brasil e a Alemanha. O respeito aos sinais de trânsito e semáforos, é umas das diferenças que notei desde a primeira vez que estive em terras Germânicas. Os pedestres aqui esperam para cruzar somente quando o sinal estiver verde, mesmo não havendo trânsito algum. Outra coisa é a qualidade do transporte público e das ciclofaixas. Aqui na Alemanha não é necessário ter um carro, já que você consegue se locomover muito bem e com segurança, através de um transporte público de qualidade. Outra opção, é a bicicleta, já que os ciclistas são muito respeitados. Tenho observado também a questão pet friendly, é muito comum ver cachorros acompanhando seus donos em alguns restaurantes, no transporte público, etc. A maioria dos cães que vejo estão sem cão guia e são muito bem adestrados. Bom, não poderia deixar de falar da pontualidade alemã, sim posso confirmar que estão sempre no horário, o contrário acontece somente se ocorrer algo muito grave. E a última, porém não menos importante, COMIDA... A culinária alemã é bem diferente da Brasileira. Venha preparado para abusar nos carboidratos, já que pão é um dos alimentos principais por aqui. Para finalizar, existem ainda muitas outras diferenças entre os dois países, porém falando por experiência própria, você logo irá se acostumar e algumas dessas diferenças começarão a fazer parte da sua própria cultura.

 

ctrl-down
A atmosfera da Karlshochschule

Por Celinne de Paula:

A Karlshochschule é diferente em muitos aspectos, pelo fato dela ser uma universidade menor, ela nos proporciona um ambiente íntimo e aconchegante. Todas as salas tem parede de vidro, e a porta dos departamentos estão sempre abertas. Por isso que aqui você consegue ficar próximo dos coordenadores dos departamentos, dos professores, e até do reitor da universidade. Uma das coisas que eu mais gosto aqui são os eventos que a faculdade proporciona, as noites de Karaokê, as festas no Halloween e em outras datas comemorativas são oportunidades maravilhosas para você conversar com as pessoas de outros cursos e de outros semestres. No início do semestre, temos a “Orientation week”, e essa foi uma das semanas mais legais da minha vida. Foi uma semana inteira conhecendo a universidade, as pessoas de diferentes lugares do mundo e toda noite tinha algo para se fazer com a galera. A Karls promove muito a diversidade e o crescimento pessoal. Enquanto escrevo esse texto na biblioteca, posso ver um quadro com o mapa mundi e com “find yourself”, “enjoy the moment” e “be pasionate and inspire others” escrito do lado. Aqui temos eventos específicos para dar feedback para os professores, e para universidade no geral. E em cada andar temos a chamada “feedback box” caso você não queira falar algo diretamente para ninguém. Também temos eventos para discutir racismo, preconceito, inclusão e outros temas importantes. A gente se sente muito bem recebido aqui, e conseguimos ver que esse ambiente nos faz escutar, falar, pensar e crescer.

ctrl-down
Por que estudar na Alemanha?

Por João Beber:

Sempre tive o sonho de estudar fora, e escolhi a Alemanha pelas oportunidades e qualidade de ensino que este país oferece. E por que a Karl's? Primeiramente por eles oferecerem os cursos em inglês, já que no ramo do comércio internacional este é o idioma principal. Além disso, aqui tenho a chance de criar uma network mundial, já que 40% dos alunos são estrangeiros. Outro motivo que me fez tomar a minha decisão foi todas as oportunidades que esta universidade me oferece, por exemplo me tornar um embaixador, a bolsa de estudos que ganhei, etc. Confesso que tentei vir sem expectativas para cá, e já estando a um mês aqui estou me sentindo muito alegre com minha decisão.

ctrl-down
Sobre o inverno alemão

Por Celinne de Paula:

Apesar de já ter passado pelo inverno europeu uma outra vez, tenho que dizer que essa nunca é uma experiência muito fácil para um brasileiro. Mesmo tendo vindo de uma das cidades quentes do Brasil, o frio intenso na verdade não é a coisa mais difícil do inverno, a falta de sol é. No final do outono as temperaturas vão diminuindo as folhas das árvores começam a cair e os dias começam a ficar mais curtos, no pico do inverno amanhece às 8/9 da manhã e escurece as 4 da tarde, é bem comum ficar um pouco mais triste e cansado nessa época. É por isso também que as cidades ficam enfeitadas e cheias de luzes, os mercados de natal são sempre bem coloridos para animar as pessoas e dar vida a cidade. No inverno temos a opção de ir para a Black Forest que fica perto de Karlsruhe para esquiar na neve também!

ctrl-down
As diferenças entre o Brasil e a Alemanha

Por João Beber:

Irei falar um pouco sobre as 5 diferenças na minha percepção entre o Brasil e a Alemanha. O respeito aos sinais de trânsito e semáforos, é umas das diferenças que notei desde a primeira vez que estive em terras Germânicas. Os pedestres aqui esperam para cruzar somente quando o sinal estiver verde, mesmo não havendo trânsito algum. Outra coisa é a qualidade do transporte público e das ciclofaixas. Aqui na Alemanha não é necessário ter um carro, já que você consegue se locomover muito bem e com segurança, através de um transporte público de qualidade. Outra opção, é a bicicleta, já que os ciclistas são muito respeitados. Tenho observado também a questão pet friendly, é muito comum ver cachorros acompanhando seus donos em alguns restaurantes, no transporte público, etc. A maioria dos cães que vejo estão sem cão guia e são muito bem adestrados. Bom, não poderia deixar de falar da pontualidade alemã, sim posso confirmar que estão sempre no horário, o contrário acontece somente se ocorrer algo muito grave. E a última, porém não menos importante, COMIDA... A culinária alemã é bem diferente da Brasileira. Venha preparado para abusar nos carboidratos, já que pão é um dos alimentos principais por aqui. Para finalizar, existem ainda muitas outras diferenças entre os dois países, porém falando por experiência própria, você logo irá se acostumar e algumas dessas diferenças começarão a fazer parte da sua própria cultura.

 

ctrl-down
A atmosfera da Karlshochschule

Por Celinne de Paula:

A Karlshochschule é diferente em muitos aspectos, pelo fato dela ser uma universidade menor, ela nos proporciona um ambiente íntimo e aconchegante. Todas as salas tem parede de vidro, e a porta dos departamentos estão sempre abertas. Por isso que aqui você consegue ficar próximo dos coordenadores dos departamentos, dos professores, e até do reitor da universidade. Uma das coisas que eu mais gosto aqui são os eventos que a faculdade proporciona, as noites de Karaokê, as festas no Halloween e em outras datas comemorativas são oportunidades maravilhosas para você conversar com as pessoas de outros cursos e de outros semestres. No início do semestre, temos a “Orientation week”, e essa foi uma das semanas mais legais da minha vida. Foi uma semana inteira conhecendo a universidade, as pessoas de diferentes lugares do mundo e toda noite tinha algo para se fazer com a galera. A Karls promove muito a diversidade e o crescimento pessoal. Enquanto escrevo esse texto na biblioteca, posso ver um quadro com o mapa mundi e com “find yourself”, “enjoy the moment” e “be pasionate and inspire others” escrito do lado. Aqui temos eventos específicos para dar feedback para os professores, e para universidade no geral. E em cada andar temos a chamada “feedback box” caso você não queira falar algo diretamente para ninguém. Também temos eventos para discutir racismo, preconceito, inclusão e outros temas importantes. A gente se sente muito bem recebido aqui, e conseguimos ver que esse ambiente nos faz escutar, falar, pensar e crescer.

ctrl-down
Por que estudar na Alemanha?

Por João Beber:

Sempre tive o sonho de estudar fora, e escolhi a Alemanha pelas oportunidades e qualidade de ensino que este país oferece. E por que a Karl's? Primeiramente por eles oferecerem os cursos em inglês, já que no ramo do comércio internacional este é o idioma principal. Além disso, aqui tenho a chance de criar uma network mundial, já que 40% dos alunos são estrangeiros. Outro motivo que me fez tomar a minha decisão foi todas as oportunidades que esta universidade me oferece, por exemplo me tornar um embaixador, a bolsa de estudos que ganhei, etc. Confesso que tentei vir sem expectativas para cá, e já estando a um mês aqui estou me sentindo muito alegre com minha decisão.

ctrl-down
As diferenças entre o Brasil e a Alemanha

Por João Beber:

Irei falar um pouco sobre as 5 diferenças na minha percepção entre o Brasil e a Alemanha. O respeito aos sinais de trânsito e semáforos, é umas das diferenças que notei desde a primeira vez que estive em terras Germânicas. Os pedestres aqui esperam para cruzar somente quando o sinal estiver verde, mesmo não havendo trânsito algum. Outra coisa é a qualidade do transporte público e das ciclofaixas. Aqui na Alemanha não é necessário ter um carro, já que você consegue se locomover muito bem e com segurança, através de um transporte público de qualidade. Outra opção, é a bicicleta, já que os ciclistas são muito respeitados. Tenho observado também a questão pet friendly, é muito comum ver cachorros acompanhando seus donos em alguns restaurantes, no transporte público, etc. A maioria dos cães que vejo estão sem cão guia e são muito bem adestrados. Bom, não poderia deixar de falar da pontualidade alemã, sim posso confirmar que estão sempre no horário, o contrário acontece somente se ocorrer algo muito grave. E a última, porém não menos importante, COMIDA... A culinária alemã é bem diferente da Brasileira. Venha preparado para abusar nos carboidratos, já que pão é um dos alimentos principais por aqui. Para finalizar, existem ainda muitas outras diferenças entre os dois países, porém falando por experiência própria, você logo irá se acostumar e algumas dessas diferenças começarão a fazer parte da sua própria cultura.

 

ctrl-down
A atmosfera da Karlshochschule

Por Celinne de Paula:

A Karlshochschule é diferente em muitos aspectos, pelo fato dela ser uma universidade menor, ela nos proporciona um ambiente íntimo e aconchegante. Todas as salas tem parede de vidro, e a porta dos departamentos estão sempre abertas. Por isso que aqui você consegue ficar próximo dos coordenadores dos departamentos, dos professores, e até do reitor da universidade. Uma das coisas que eu mais gosto aqui são os eventos que a faculdade proporciona, as noites de Karaokê, as festas no Halloween e em outras datas comemorativas são oportunidades maravilhosas para você conversar com as pessoas de outros cursos e de outros semestres. No início do semestre, temos a “Orientation week”, e essa foi uma das semanas mais legais da minha vida. Foi uma semana inteira conhecendo a universidade, as pessoas de diferentes lugares do mundo e toda noite tinha algo para se fazer com a galera. A Karls promove muito a diversidade e o crescimento pessoal. Enquanto escrevo esse texto na biblioteca, posso ver um quadro com o mapa mundi e com “find yourself”, “enjoy the moment” e “be pasionate and inspire others” escrito do lado. Aqui temos eventos específicos para dar feedback para os professores, e para universidade no geral. E em cada andar temos a chamada “feedback box” caso você não queira falar algo diretamente para ninguém. Também temos eventos para discutir racismo, preconceito, inclusão e outros temas importantes. A gente se sente muito bem recebido aqui, e conseguimos ver que esse ambiente nos faz escutar, falar, pensar e crescer.

ctrl-down
The Karls-People

In Germany, students call each other ‘Kommilitonen’ – this is based on a Latin term that means something like ‘fellow combatants’. And that’s exactly how it really is: At Karls, I feel like I'm surrounded by people who are working for the same things and want to stand up for what’s right together. The professors, staff and other students are inspired by the idea of creating something bigger – committed to the environment, sustainability and a better world. That's why I don’t feel like there are any hierarchies here. I can chat with my professors as easily as with my roommate. I can confidently say: The people here are the ones who have made Karlsruhe a second home for me.

The Karls-Philosophy

Karls has developed its own constructivist philosophy and didactics. The exact wording can be found on karlshochschule.de. But I can tell you in my own words how this philosophy feels to me and how it has become tangible in my life. Put briefly: At Karls, I can let myself and my ideas blossom. I can incorporate my knowledge, my ideals and my expectations and deepen them in a lively dialogue with my fellow students. My ideas are taken seriously here – I learn from my professors, of course, but my professors also learn from me. Instead of a strict curriculum and tons of theoretical knowledge, at Karls, I am given a wide range of information that I can structure however I want, and many opportunities to try it out in practice.

The Karls-Education

When I arrive at Karls in the morning, I overhear scraps of conversation between my classmates in English, German, French, Spanish and many other languages. It is precisely this open intercultural exchange that also shapes the experience of studying at Karls. Here, it’s totally normal for your course of study to cross the boundaries between disciplines. For example, it’s simply a matter of course for economists to be concerned with topics such as sustainability, environmental conservation and social justice. Conversely, sociologists at Karls are developing business models that will change the way we understand management. There’s no question that the idea of a language barrier is unimportant at the Karlshochschule. Most of the courses take place in English, and learning German is on the curriculum from day one.

Management

What should our future look like? How do we want to manage tomorrow? In the Management degree program, you will learn to take responsibility for a complex world in which negotiating skills are just as important as understanding and empathy. The pop-up menu gives you more information about your specialization options.

International Business

If you do not want to conceive of economics merely as a game of numbers, but instead want to understand and apply economic questions in an intercultural context, then you’ve come to the right place. You can design your own course of studies and specialize in three different areas.

Society

The world needs not only doers, but also thinkers. People who write the rules of the future and act as protagonists on the international political and economic stage. In these four courses of study in the field of ‘Society’, you’ll get exactly the know-how you need.

Management (M.A.)

The reality of economics and business is negotiated again and again between those involved in it. There are no universal truths, but rather well-functioning viewpoints. This is exactly what the course of studies conveys: Here, students and teachers work together on cultural and social science topics and apply them to management practice.

Spezialisierungen

Would you like to enter the creative industry or set up your own start-up? Do you want to make a difference in the political system of your country or, as the person in charge of an NGO, foster social change? Whatever your vision is: The Master's program offers you six different specializations from which you can choose two – so you can tailor your studies to your exact goals.

„The interconnectedness of modules within and across semesters is stunning. This Master’s is definitively about ‚Rethinking Management‘ and requires engagement on the brink of my comfort zone.“

Mischa Burmester,

Alumnus Master of Management

Conditions

At Karls, we know that grades are not everything. Here, what counts above all is a person’s commitment and the values that define them – and that cannot be measured. The most important thing about your online application is therefore your letter of motivation. This is your chance to show us who you are and why you are a good fit for Karls. Karls is an officially accredited university and must adhere to the rules of the German registration authorities in the application process: Therefore, another prerequisite is a recognized secondary-school degree in Germany.

Help Center

I've put together a bunch of PDFs for most countries on the South American continent. Here you will find a step-by-step checklist for your journey to Karls – from your letter of motivation to how to apply for grants and scholarships and even the application form for a visa. Also, the exact requirements for your education are in the PDF for your country or your region. In addition, you will find in the PDF the contact details of the most important contact persons, e.g. your consulate or embassy. If at any point you feel unsure – don’t worry: I'm here for you.

Download PDF
International Foundation Year

Are you thinking ‘Karls is exactly what I want for my life’, but unfortunately are missing the appropriate degree? Maybe you also have a very good school diploma, but it is not recognized by the German registration authorities? Don’t despair! Many of my fellow students once felt the same way. The solution for you might be the Foundation Year: Within a year, you will learn all the necessary content and then take an exam. This means you’ll meet the admission requirements and can enrol at Karls. Wondering if a Foundation Year is also for you? Write to me and I'll explain everything else, including where and when you can do it.

Do you have further questions about Karls or your studies? Then just write me. I will be at your side with words and deeds and look forward to hear from you.

Karls-FAQ

https://karlshochschule.de/en/faq/

Ambassador (by me)

#Preciso saber falar alemão para estudar na Karlshochschule?

Não é necessário nenhum conhecimento prévio de alemão, e a língua oficial da universidade é o inglês. Contudo, todos os estudantes estrangeiros têm aulas de Alemão.

 

#Qual a duração dos programas?

Na Alemanha o bacharelado tem a duração de 3 anos, e o mestrado 2 anos.

 

#Qual o diferencial de estudar na Karlshochschule?

A Karlshochschule é a universidade com mais estudantes internacionais da Alemanha (cerca de 40% dos estudantes). Baseada nos valores de ser um espaço aberto para diálogo e feedback, a Karls promove diversidade, inovação, e crescimento pessoal. A universidade nos incentiva a desenvolver nossos próprios projetos, ou participar de iniciativas criadas pelos nossos colegas. Durante os estudos, temos projetos com empresas e organizações e, um semestre exclusivo para estágio. Além disso, passamos um semestre estudando em um país diferente (podemos escolher entre mais de 100 universidades do mundo inteiro!).

#O que é o International Foundation Year?

O ano internacional de fundação, também chamado de Studienkolleg, é melhor maneira de se preparar para o bacharelado na Karls. Durante um ano, temos aulas de introdução a economia e negócios, desenvolvemos nossas habilidades de inglês e alemão, além de termos aulas de matemática e estudos sobre a cultura alemã. O objetivo é que no final do foundation year, todos os alunos tenham o mesmo nível de conhecimento.

 

Requisitos:

 

#Os diplomas brasileiros são reconhecidos na Alemanha? Como posso entrar na universidade?

 

Para Graduação:

 

O diploma brasileiro de ensino médio sozinho não dá entrada para universidades alemãs, estudantes que possuem tal diploma precisam completar o International Foundation Year (Studienkolleg) antes da graduação. Estudantes que já possuem um diploma de ensino superior, ou que já estudaram em uma universidade por um ou mais anos, podem ser admitidos diretamente para o bacharelado. Estudantes com o International Baccalaureate (IB), Abitur, ou equivalente também podem ser admitidos diretamente. Também é necessário um certificado IETLS 6.0; TOELF 80; ou certificado equivalente. Recomendamos sempre aplicar, pois o Admissions Office irá avaliar sua aplicação e qualificações individualmente.

 

 

Para Mestrado:

 

 Você pode entrar no mestrado se possuir um diploma de bacharelado nas       áreas de administração/economia, ou ter pelo menos 30 ECTS (Sistema Europeu de Transferência de Créditos) nessas mesmas áreas. Caso sua graduação seja de outro campo de ensino, é necessário completar um semestre de PreMaster antes de entrar no mestrado. Também é necessário um certificado IETLS 6.5; TOELF 100; ou certificado equivalente. Recomendamos sempre aplicar, pois o Admissions Office irá avaliar sua aplicação e qualificações individualmente.

 

Para mais informações:


Em inglês:

 

Em português:

 

 

 

Mudando do Brasil para a Alemanha.

 

#O que preciso saber antes de ir?

Aplicação para o visto

 

Brasileiros podem ficar até 3 meses na Alemanha sem visto, porém, é necessário a aplicação para tirar o visto de estudante dentro desse período. Os documentos necessários são:

 

 

Trabalho na Alemanha

 

Estudantes brasileiros na Alemanha têm o direito de trabalhar até 120 dias inteiros por ano. Quem não fala alemão pode optar por trabalhar com a universidade, em bares irlandeses ou em escolas de inglês. Se seu nível de alemão for bom, trabalhar em restaurantes e no comércio também são possibilidades.

            Mais informações sobre trabalhar na Alemanha em: vempraalemanha.com/dicas-de-trabalho-para-estudantes-na-alemanha/

 

 

#Mais informações úteis:

 

  1. Comece a procurar por acomodação cedo, especialmente no começo do semestre de inverno (setembro - janeiro), há muitos estudantes internacionais chegando na cidade.
  2. Tenha certeza que seu passaporte é valido (não irá vencer nos próximos meses), renove-o antes de vir se a data de expiração estiver perto.
  3. Após se mudar para Alemanha, você tem 2 semanas para se registrar na cidade (Anmeldung), você receberá um documento que servirá como seu comprovante de endereço.

 

 

Sobre Karlsruhe

 

#Qual é o custo de vida?

 

O custo de vida em Karlsruhe não é alto, porém depende muito do padrão de vida que você leva, da sua dieta e preferências. Aqui temos valores aproximados do custo de vida de um estudante comum, pode-se gastar bem menos e bem mais que isso.

 

  • Seguro saúde: € 100 (mensais)
  • Acomodação: € 300
  • Transporte € 30 (bilhetes semestrais custam € 156 para seis meses para usar todos os transportes públicos da região. Porém o meio mais popular de locomoção em Karlsruhe é a bicicleta)
  • Supermercado: € 165
  • Academia: € 20

 

Os gastos mensais são de aproximadamente € 700

 

Com o objetivo de ajudar os brasileiros que querem estudar na Karlshochschule, nós estamos disponíveis para tirar qualquer dúvida. Também temos guias detalhados para como achar acomodação, tirar o visto e obter todos os documentos necessários para viver e estudar em Karlsruhe. Para saber mais entre em contato com a gente em:

cde@karlshochschule.de & jbeber@karlshochschule.de

 

Com muito amor e carinho,

Celinne de Paula & João Beber